Esquecendo o sofrer

É uma chuva entrando pela janela,
Livro incompleto e soturno,
Um lugar escuro, abafado e insuportável,
Um amargo beijo solitário.

É um desejo involuntário,
Cheio de lágrimas irracionais como cenário
Um sofrer, sem querer nem poder.

Como cachoeira na clareira
Que fere e acaricia,
Que aquece, mas sufoca e esfria.

Paisagem bela inalcançável,
Coração soturno e imprestável,
Babe, eu me recuso a me despedaçar por você,
Amar é o inferno que devo esquecer,
Este é meu adeus a você.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s