Do piano

Acordei como Leoa,
Atenta ao menor ruído,
Leoa protetora de filhotes,
Mas, esqueci! Não há filhotes.

Ao silêncio que se faz,
Ouve-se o piano ao longe,
Que desperta os sentidos
De Leoa solitária errante:

Um som contínuo,
Uma melodia ameaçadora,
Do leve toque no piano,

Às suas termináveis afrontas
Ao meu medo e solidão
Com adagio no piano e pesar no coração.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s