Até o sol se vai

Até o sol se vai

Levanto porque algo me puxa,
Um mundo cheio de mentiras,
Cheio de desconfiança
E falsas esperanças…
O que me mantém aqui
É o mesmo que me destroi…

Quatro dias felizes sem paranoia
Se vão como se nunca existissem.
O resto do ano será melancólico,
Por meias-palavras,
Por pequenas palavras:
Destrutivas palavras − fogo!

Essa mesma luz pura,
Que faz viver,
Queima e faz sofrer.

Esse arrebol encantado,
Que tanto seduz,
Todos os dias se esvai,
Todo final de tarde simplesmente vai,
Evita a suavidade da noite e a abandona.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s