Esquecendo a destruição

Desapego de memórias,
Sentimentos relembrados – escórias.
Invadindo a mente,
Ocultando o sorriso do ente.

Vive-se numa falha sóbria,
Tão lúcida, tão surreal,
Alma que afunda a si própria.

Com o olhar baixo,
Findando os dias de tortura,
Escondendo os que estão por vir,
Fingindo doçura.

Como desaponto à procura,
Do rompimento de uma maldição:
A destruição é a cura.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s